Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Bla bla bla’ Category

Ainda é ano novo né?! Então dá tempo! Feliz Ano Novoooooo!
Dá tempo também de comemorar o aniversário do meu blog que já fez um ano…rsrs… Em Novembro, masss tá valendo… Então! Feliz Aniversário Devaneios de Mulher! Que tu continues a ser a tela que expressa os devaneios desta mulher que vos tecla, expressando suas várias fases.
Viva as novas fases!
A vida está em movimento, aliás como sempre, mas às vezes o movimento é mais perceptível, às vezes só para nós, às vezes os outros não tem como não perceber. No momento estou pela primeira opção, só eu percebo, por enquanto. Ando fazendo descobertas, remexendo no passado e no subconsciente, revirando, retirando e reciclando o lixo, criando novas bases, arrumando a casa em todos os sentidos. Em fim tentando por em prática alguns dos conhecimentos que apenas mantive em teoria por longo tempo.
Tenho muito a dizer e muito a escrever, mas às vezes me faltam as ferramentas à mão; a caneta e o tempo e quando vejo os pensamentos já se foram, já estou pensando e fazendo outras coisas não tão artísticas ou profundas e não escrevi naquele momento de inspiração. Mas neste momento sinto que é um recomeço de vida, por isto esta nova estruturação ou vice-versa. Passei por uma auto gestação agora acho que renasci e estou reaprendendo a vida com outros sentidos. Me auto gerei, renasci e agora reaprendo a viver. E espero que dentre algum tempo eu esteja com uma carinha tipo este bebê de Anne Geddes que coloquei no final do texto…Rsrsrs…
E para relembrar os bons tempos poéticos, vou hoje postar também, logo abaixo da coisa fofa, o link da primeira poesia que postei neste blog em 16 de novembro de 2005, para comemorar o aniver do meu blog e também por que tem muito a ver com o momento por qual passo.
Um momento de auto descobertas, de renascimento… Um Feliz Recomeço!

Isabel Batista

Read Full Post »

 

Fazia um bom tempo em que eu não dava as caras por aqui, os dedos nas teclas, os olhos na tela. Masss… Aqui estou novamente, para não deixar criar poeira e teias de aranha nesta página.
Agora em Lan House. Para quem sempre escreveu em casa e de repente teve que se utilizar de um serviço deste sabe bem que não é muito fácil manter uma concentração constante. Portanto se o que eu escrever parecer um tanto retalhado, esquisito, sem nexo, errado gramaticalmente, em concordância nominal ou verbal… Este fato é um dos motivos, mas só um deles, os restantes são motivos internos de minha mente viajante, um tanto desmemoriada por vezes, completamente equivocada em outras.
Além disto… O que ando eu fazendo? Como a maioria das pessoas, umas coisas bem chatas e outras bem legais. Uma das bem legais é que estou participando de um grupo de teatro “ResgatArte”. (Em outro momento falarei mais sobre isto). Muitos projetos para trabalhar nesta área… Arte.
Em minhas passagens por muitos caminhos, o que nunca deixei foi o da Arte, de alguma forma sempre estive perto dela, misturada a ela, tomada por ela, buscando ela… A Arte! Sou muito “arteira”!
A Arte faz parte de mim, faz parte de todos, mas alguns a percebem mais em si mesmos, outros ainda não, eu a percebo em mim e fora de mim e em todo lugar. Como para um místico ou espiritualista que vê o lado espiritual de tudo, a arte assim também é vista por mim e tento expressá-la de alguma forma, às vezes de forma um tanto solitária, como em muitos momentos, aqui mesmo neste meu espaço, ou em momentos em que faço parte de algo. Isto é a maravilha da Arte que nasce e também alcança os solitários como também nasce de grupos para o mundo. Eu sinceramente amo e desfruto destas duas formas, são ambas importantes pra mim … Expressar meu universo interno e me unir a outros para alcançar o nosso universo em comum.
Fazer parte… Ser aceita… Algo muito importante pra mim, não sei se posso dizer, ” importante para todo ser humano”, mas vou arriscar a generalizar… “É importante, imensamente, importante para todo ser humano”.
Mas cada um tem seu jeito de ser e fazer parte…
Falando de forma mais natural, no meu caso, maluca… Quero ser uma estrela, ter meu espaço, meu brilho sem a ninguém ofuscar. Na vida, na arte. Uma mudança afinal, já que antes mais me comparava com um buraco negro como expressei em uma de minhas poesias. “Sou vácuo vivo, buraco negro que tudo consome e nada seleciona, absorvendo a poeira e a montanha, a confusão em mim se amontoa”. Acho que me sinto mais evoluida ou merecedora… Sei lá!
Estrela! Quero ser estrela…Talvez minha cor possa ser diferente e contrastante, talvez indefinida, mutável e imprevisível. Talvez a estrela que reflita as cores das outras que me rodeiam… Espelhada! Ou que reflita a alma dos olhos de quem observa. Certamente cores com nuances infinitas. Que reflita os desejos dos que observam… Brilhos de intensidades mil.
Na… Na… Na… Puts! Isto tudo a lua já faz… Mutável, espelhante, relativa aos desejos de quem observa: astrônomos, bruxos, enamorados, lobisomens, cabeleireiros, pescadores, agricultores, surfistas, parteiras, astrólogos, astronautas, etc; E pelos escritores apocalípticos, românticos, cinematográficos, científicos; Já se fez colorida.
Então não é nada original.
Tá certo! Vou tentar ser menos arrogante, mais sucinta e menos viajante… Ou talvez mais.
Já sei!
Vou fazer parte, ser relativa aos desejos e cores… Brilhante! Memorável! Querida!
Estrela Cadente!… FUI!!!


Isabel Batista 

 

Read Full Post »


Nada de inspiração!
Me sinto em meio ao vácuo criativo.
Nada a acrescentar em palavras, elas correm soltas pelas planícies de mim, sem se tocar, sem se enxergar.
Não se unem, não se entrelaçam ou se fundem… Apenas se confundem!
As ideias dançam soltas flutuando sem me tocar, uma música absurda, confusa.
Nada de inspiração!
Sem palavras, sem noção, não há nada a declarar.
Talvez seja gestação, talvez o fim do que eu sou.
Mas nem bem descubro este segredo “quem sou” e já a metamorfose me toma outra vez.
Sinto um borbulhar que não se apronta.
Um… Um gestar sem nascimento… Algo vai romper… Explodir!!!
A criação parece próxima mas não a alcançoooooooooooooooooo… Grrrrrrrrr!!!
Talvez o que eu precise seja de insPIRAÇÃO!
Talvez mais razão, talvez intuição, talvez…, talvez…, talvez…
Um ser em caos é o que sou… Novamente! Outra vez!
As reticências me perseguem…
Querem existir pra sempre, deveriam existir palavras no lugar delas, elas me consomem.
Simplesmente meus pensamentos são… (…)
Mas mesmo elas me tomando preciso da expressão, mesmo que para “nada” dizer…
Mesmo que seja pra dizer… (…)
Ah! Esta agonia do vácuo, é angustiante pra quem não vive sem criar, pra quem vive na eterna expressão.
É como uma morte, angustiante e dolorosa que parece não ter fim no próprio ato de morrer.
É como aqueles instantes confusos de não poder alcançar… “Está na ponta da língua!”
Reticências agora não são 3 pontos pra mim, mas neste momento, bilhões de pontos espalhados em cada canto de minha mente.
Nada agora me inspira. Talvez seja falta de emoções… Talvez seja falta de… de… SEI LÁ O QUE!
Talvez!… Talvez!… Talvez!… Seja a hora de parar de escrever.
E em fim fenecer e deixar-se morrer…
 

reticência
do Lat. reticentia
s. f., omissão intencional de uma coisa que se devia ou podia dizer;
Ret., figura pela qual o orador se interrompe antes de haver exprimido completamente o seu pensamento, mas deixando perceber o que não chegou a dizer;
(no pl. ) pontos sucessivos que na escrita indicam aquela omissão.

Minha mente omissa se resume a…


Isabel Batista

Read Full Post »

 

Mas bah tchê!
Hoje foi um dia que começou difíciiiiiilllllllllll, mas está terminando muito legaaaaaallllllllllll!!!!
O que fez a diferença?
Euuuu!
Minha alma inquieta me belisca por dentro, me faz acordar e perceber as soluções que busco.
Nos desesperos esta busca é mais “fast”, algo nos impulsiona a sempre buscar a bonanza. Talvez a inexistência das dores em si já seja um tremendo prazer. E quem gosta de sentir dor ou desespero?!
Só sei que me sinto bem agora.
Ou talvez, no momento em que um medo aterrador me puxava com suas garras pro fundo do poço, já não existia outro caminho se não fazer o caminho de volta. E dar um bom chute na lata deste “mardito”, atrevido, insolente medo.
Eu tive uma ajudinha divina, eu orei claro como sempre faço. Não naquele estilo de juntar as mãozinhas e se por a ladainha… “Pai nosso, Afe Maria e coisa e tal”, na na.
Onde eu trabalho tem um tremendo quadro de Jesus, afinal trabalho em uma instituição filantrópica. Foi lá que conversei com ele, e ele ,em fim me deu uma boa resposta. O céu não se abriu, nem estas coisas cheias de efeito especial, apenas coisas aconteceram pra que eu tivesse uns clics e despertasse pra certas ideias muito úteis… Acreditar em mim mesma. Me sentir bem de ser esta pessoa que sou e usar o potencial que tenho.
Nada de segredos do universo infelizmente, no entanto nestes “clics” talvez se encontrem os segredos de nosso universo interno que é tão vasto quanto o que existe lá fora.
Os céticos talvez digam: ” Ah! Ela simplesmente encontrou as soluções elaboradas pelo subconsciente, as perguntas e respostas estão em nós mesmos.”
Obs: Bom, não sei na verdade se um cético ou ateu diria isto, mas chutei, afinal não penso como um.
Eu responderia: Concordo plenamente, afinal onde está a divindade, se não dentro de nós mesmos, em nossos corações. Eu acredito nisto!
Que me perdoem os céticos, mas religião [religare – segundo Lactâncio (m.330 d.C.)- ligar, religar] é fundamental.
Bom na verdade nem vim aqui falar de religião, mas fluo nos detalhes da vida e penso que quem mora neles é Deus(a) (afinal ele está acima de gêneros masculino ou feminino) e não o diabo. (fazendo referência a um velho ditado que diz… “O diabo mora nos detalhes”.
Vim apenas dar ao meu espaço o equilíbrio, afinal dias ruins acontecem e foram aqui expressos, então vim expressar um belo e vitorioso dia. Este bem que podia durar um pouquinho mais… rsrsrs…
Mas a vida é assim feita de momentos, e depois de uma vitória é mais provável que eu me estimule a vencer cada dia mais. Este gosto na boca de quem gosta da vida é ótimooooooooooo!!!
Confio que a divindade em mim e fora de mim, que há em tudo e todos me mostrará o melhor caminho se assim eu quiser ouvi-la. E me desprender dos medos e curtir esta vida em todas suas dores de aprendizagem e seus prazeres de felicidade.
O improvável acontece, o impossível não é uma verdade absoluta.

Read Full Post »

*Sem imagem por que esta porrrrrrrr…..caria não tá fazendo upload.

Ei! Quer saber?!
Hoje foi um dia difíciiiiiiil! Tive que fazer um monte de coisas que não queria.
Fazer e falar coisas que não queria, mas como diria o Sr. Spock… ” … as necessidades de muitos sobrepujam as necessidades de poucos”.
Medos me assolaram, me torturaram…ahhhhhhhhh… mas acabei com eles.
Não! Mentira minha, só os deixei desacordados, pretendo continuar a fazer isto até que eles entrem em coma.
Tá, me perguntem… Cadê a tal da felicidade interna Bel?
Tá aqui dentro de mim orgulhosa por que superei este dia com coragem.
Ah! Sim, por dentro há destroços, mas nada como um dia após o outro…após o outro…após o outro…após o outro…após o outro…após o outro…
Queria escrever mais, ando com esta necessidade, este impulso. Sei lá porque. Acho que li em algum lugar que faz bem. Massss está tarde e tenho que ir dormir.
A perspectiva do dia que se aproxima?
Mais uma guerra cruel, terrível, sanguinária e maligna contra mim mesma. Ou à favor?
Na verdade a primeira batalha é conseguir achar esta resposta.
Como diz um amigo meu… “Quero ser grande!”

Boa Noite!
Bom Dia!
Boa Tarde!

Read Full Post »

Expurgando


Neste momento se fosse escolher uma faculdade, seria aquela que me ensinasse a compreender o ser humano e suas contradições. Talvez isto não se ensine em faculdade, talvez seja um dom, mas então estou perdida se só houver estas duas opções.

Será que há uma fórmula, uma maneira que pudéssemos compreender o próximo?Eu venho tentado isto fazer e às vezes me sinto incapaz e inútil e lidar com estas frustrações não é nada fácil. Posso falar que muitas vezes a dor é física. 

Vou falar de coisas que detesto na humanidade…

Neste momento detesto a incapacidade e a má vontade de compreender o outro. Talvez me inclua neste sentimento, sou transmissora e receptadora… Eu mereço!
Neste momento eu queria saber por que há pessoas que te falam… “Olha eu sou seu amigo e quero tentar te compreender, conte comigo sempre… ;)”. E no momento seguinte… “Olha me desculpe. Tchau!”.

Se eu não deixasse as portas abertas, se eu fugisse também, acho que até seria justo agir assim. Mas não ajo assim. Se falo… “Meu amigo neste momento prefiro mudar de assunto pois estou tentando me superar”. Espero que o amigo me compreenda e não me abandone, por que preciso dele sim, mas pra me ajudar no que preciso em um momento de fraqueza e não no que ele quer acima de tudo.

Mas o que esperamos dos outros é o pior que podemos fazer. Erro fatal! Damos como se diz… “com os burros n’água”. E além de ter que superar nosso próprio ego temos que ainda tentar compreender o do outro… “Minha nada mole vida!”

Não me leve a mal quem não entender do que falo, falo por que preciso, porque não tive a chance de falar com quem eu queria que compreendesse. Foi me negada esta chance de me fazer entender, mas como eu digo… Tudo Bem!!! Talvez seja assim que o destino escolheu pra minha aprendizagem… Nem dom, nem faculdade, mas em tom de dificuldade, (desculpe o trocadilho infame).

Mas àqueles que compreenderem … Um Viva!!!!!!!!!!!! Você é uma pessoa que tem um dom. Parabéns!!!

Não tô com TPM não! Só estou colocando pra fora, expurgando pra que não crie raízes, certas coisas insistentes e negativas que assombram minha mente e meu coração… Shooooooo Fantasmaaaaasss! Mas que nunca vão me impedir de ser feliz sempre.

E para os amigos (os que considero e os que me consideram como tal) saibam que nunca vou desistir de tentar compreendê-los e de tentar também o trabalho duplo de me fazer entender. Mas paciência as vezes nem um nem outro dá certo. Mas peço em nome da amizade… Tente você também!

Isabel Batista

 

Read Full Post »

Eu Hoje.

Vou fazer hoje algo que só fiz uma vez aqui… falar o que sinto no momento, escrevendo assim direto.

Sim! Sempre falo o que sinto. Mas as vezes demora algumas horas para que se construa algo, principalmente de forma lírica.

Mas hoje senti a necessidade de mostrar vida aqui neste meu espaço de devaneios, talvez para realmente isto fazer… devanear um pouco.

Tantas coisas acontecem em nossas vidas e estou passando uma fase que ainda não consegui conceituar. Como agente fala sempre… “Ah que fase difícil! ” Ou … “A minha vida anda calma”. Não sei se a vida anda assim ou assado, na verdade não sei se realmente ela está acontecendo ou continuo a “vegetar” como por muito tempo fiz. Se comparar com outras fases… É acho que posso falar que estou vivendo, mas se comparar com o que realmente gostaria de estar fazendo, onde queria estar… Não da pra dizer que esteja então… Sei lá!

Não sei ainda o que realmente quero da vida e isto me angustia, mas não é aquela angústia que te atormenta o tempo todo, acho que não saberia viver assim, com aquele pensamento fixo de que tenho que estar lutando o tempo todo por aquilo que desejo. Em mim mesma sempre tive uma paz interior e uma felicidade e gratidão por tudo aquilo que já tenho. Talvez seja isto que tenha de mudar e tenha de viver mais pensando em realizar do que estática agradecendo. Talvez enfrentar a vida seja se entregar à agonia da luta pra poder realizar e em fim conseguir a paz que se deseja, a paz que traz o prêmio pelo esforço empregado. Mas ao escrever isto vejo que talvez seja um meio termo disto, ou algo diferente, pois não faz parte de mim ser infeliz agora pra ser feliz depois. O futuro se constrói com esforço mas o presente com a gratidão de cada dia, penso que seja o ideal pra mim.

Talvez possa dizer que esteja em uma fase mais reflexiva, ao mesmo tempo mais ativa em certos aspectos. Não dá pra definí-la com uma só palavra.

Sou feliz!!! Mas, ainda não estou realizada. Não sei se um dia estarei, mas enquanto isto não empurro a felicidade para o amanhã, mas tento vivenciá-la em cada momento valorizando e agradecendo pelas pequenas e grandes coisas que acontecem, os dias de sol e os de chuva. Não digo que não tenha meus momentos de tristeza e até depressão, mas estes momentos só me fazem olhar para o que preciso ainda fazer para ser mais feliz. Há sempre uma luz! Há beleza em tudo e em todos!

E espero poder aprender muito e compartilhar com os que cruzam meu caminho um pouco desta felicidade que carrego em meu coração.

Puts! Quando comecei a escrever isto achei que ia levar para um lado mais “deprê”… Olha só o que saiu! Não tem jeito… Eu sou feliz!!!… rsrs

E meus pensamentos e sentimentos refletem em minha realidade. Ou seria o contrário?

Isabel Batista

Read Full Post »